Assistência Farmacêutica

Aplicação de Injetáveis

1. Objetivo: padronizar a aplicação de medicamentos injetáveis.

2. Áreas envolvidas: área de atenção farmacêutica.

3. Responsabilidades: é de responsabilidade do profissional farmacêutico a aplicação de medicamentos injetáveis.

4. Material necessário: absorvente adesivo hipo-alérgico, agulha descartável, algodão, BD alcohol swabs, BD Descartex, luvas cirúrgicas, medicamento e seringa descartável.

5. Procedimentos:

a. Registrar a aplicação em Livro de Registro de Aplicação de Injetáveis.

b. Via intradérmica: face ventral do antebraço.
Fazer a assepsia das mãos conforme POP Rotina de Lavagem e Assepsia das Mãos, colocar as luvas cirúrgicas, preparar o medicamento (Anexo 01), espalmar o antebraço em sua face dorsal, fazer a degermação do local da aplicação com água e sabão neutro e distender a pele do local de aplicação, segurar a seringa com a agulha tipo insulina (13 x 4,5 ou 10 x 2) introduzindo a agulha paralelamente a pele ou numa angulação máxima de 15º, numa extensão de 2 mm e com o bisel da agulha voltado para cima, injetar lentamente a dose de medicamento indicada, observar se houve a formação de pápula, retirar a agulha e passar suavemente algodão seco no local da aplicação sem fazer compressão, descartar a seringa com a agulha em recipiente com símbolo de resíduo biológico com a inscrição perfurocortante (BD Descartex) e o algodão e as luvas no recipiente com símbolo e inscrição de resíduo biológico. Entregar ao cliente a declaração de serviço farmacêutico realizado.

c. Via intramuscular: os locais de aplicação, de acordo com a ordem de prioridade, são:
Região ventro-glútea (VG) ou local de Hochstetter: Fazer a assepsia das mãos conforme POP Rotina de Lavagem e Assepsia das Mãos, colocar as luvas cirúrgicas, preparar o medicamento (Anexo 01), determinar a região de aplicação colocando a mão esquerda no quadril direito e vice-versa, apoiando a extremidade do dedo indicador sobre a espinha ilíaca ântero-superior, espalmando a mão sobre a base do grande trocânter do fêmur e afastando o dedo médio do indicador, fazer a antissepsia do local da aplicação com álcool a 70%, introduzir a agulha, com angulação ligeiramente dirigida à crista ilíaca, no centro da área delimitada pelos dois dedos abertos em V, aspirar puxando o êmbolo para verificar se algum vaso foi atingido, injetar o medicamento, retirar a agulha, comprimir o local com algodão seco, descartar a seringa com a agulha em recipiente com símbolo de resíduo biológico com a inscrição perfurocortante (BD Descartex) e o algodão e as luvas no recipiente com símbolo e inscrição de resíduo biológico. Entregar ao cliente a declaração de serviço farmacêutico realizado.
Face ântero-lateral da coxa (FALC): Fazer a assepsia das mãos conforme POP Rotina de Lavagem e Assepsia das Mãos, colocar as luvas cirúrgicas, preparar o medicamento (Anexo 01), determinar a região de aplicação traçando um retângulo delimitado pela linha média anterior da coxa na frente da perna e uma linha média lateral da coxa do lado da perna, respeitando superiormente a distância de 12-15 cm abaixo do trocânter maior do fêmur e inferiormente 9-12 cm acima do joelho numa faixa de 7-10 cm de largura, fazer a antissepsia do local da aplicação com álcool a 70%, introduzir a agulha com uma angulação de 90º, aspirar puxando o êmbolo para verificar se algum vaso foi atingido, injetar o medicamento, retirar a agulha, comprimir o local com algodão seco, descartar a seringa com a agulha em recipiente com símbolo de resíduo biológico com a inscrição perfurocortante (BD Descartex) e o algodão e as luvas no recipiente com símbolo e inscrição de resíduo biológico. Entregar ao cliente a declaração de serviço farmacêutico realizado.
Região dorso-glútea (DG): Fazer a assepsia das mãos conforme POP Rotina de Lavagem e Assepsia das Mãos, colocar as luvas cirúrgicas, preparar o medicamento (Anexo 01), determinar a região de aplicação traçando uma linha que parte da espinha ilíaca póstero-superior e finalizando no grande trocânter do fêmur, neste caso aplica-se a injeção na região central da área, ou, traçando dois eixos, um horizontal, com origem na saliência mais proeminente da região sacra e outro vertical, originando-se na tuberosidade isquiática, na crista ilíaca, das quatro áreas parciais delimitadas, a utilizável é a superior externa, 2,5-3,0 cm de distância do eixo vertical, fazer a antissepsia do local da aplicação com álcool a 70%, introduzir a agulha com uma angulação de 90º, aspirar puxando o êmbolo para verificar se algum vaso foi atingido, injetar o medicamento, retirar a agulha, comprimir o local com algodão seco, descartar a seringa com a agulha em recipiente com símbolo de resíduo biológico com a inscrição perfurocortante (BD Descartex) e o algodão e as luvas no recipiente com símbolo e inscrição de resíduo biológico. Entregar ao cliente a declaração de serviço farmacêutico realizado.
Região deltoidea: Fazer a assepsia das mãos conforme POP Rotina de Lavagem e Assepsia das Mãos, colocar as luvas cirúrgicas, preparar o medicamento (Anexo 01), determinar a região de aplicação traçando um retângulo na região lateral do braço, iniciando com a extremidade mais inferior do acrômio, respeitando a distância de 3-5 cm abaixo do acrômio, e terminando no ponto oposto à axila, 3,0-3,5 cm acima da margem inferior do deltoide, fazer a antissepsia do local da aplicação com álcool a 70%, introduzir a agulha com uma angulação de 90º, aspirar puxando o êmbolo para verificar se algum vaso foi atingido, injetar o medicamento, retirar a agulha, comprimir o local com algodão seco, descartar a seringa com a agulha em recipiente com símbolo de resíduo biológico com a inscrição perfurocortante (BD Descartex) e o algodão e as luvas no recipiente com símbolo e inscrição de resíduo biológico. Entregar ao cliente a declaração de serviço farmacêutico realizado.
Método em Z: Fazer a assepsia das mãos conforme POP Rotina de Lavagem e Assepsia das Mãos, colocar as luvas cirúrgicas, preparar o medicamento (Anexo 01), depois de aspirado o volume correto do medicamento na seringa, aspirar uma bolha de ar de 0,3-0,5 mL e trocar a agulha utilizada por outra esterilizada, fazer a antissepsia do local da aplicação (região dorso-glútea) com álcool a 70%, retrair a pele lateralmente, cerca de 2,5-5,0 cm, introduzir a agulha com uma angulação de 90º, injetar lentamente o medicamento, após a inoculação, com a agulha ainda no local, manter a retração por 10 s a fim de impedir que a medicação escoe para dentro do tecido, após, retirar a agulha e liberar a pele, comprimir o local com algodão seco, descartar a seringa com a agulha em recipiente com símbolo de resíduo biológico com a inscrição perfurocortante (BD Descartex) e o algodão e as luvas no recipiente com símbolo e inscrição de resíduo biológico. Entregar ao cliente a declaração de serviço farmacêutico realizado.

d. Via subcutânea: locais de injeção intramuscular, face lateral externa dos braços, face anterior das coxas, região glútea e região abdominal.
Fazer a assepsia das mãos conforme POP Rotina de Lavagem e Assepsia das Mãos, colocar as luvas cirúrgicas, preparar o medicamento (Anexo 01), expor a área de aplicação, fazer a antissepsia do local com álcool a 70%, distender a pele do local de aplicação com os dedos indicador e polegar mantendo a região firme, introduzir a agulha (10 x 6) com rapidez e firmeza, em um ângulo de 90º, soltar a pele, aspirar puxando o êmbolo para verificar se algum vaso foi atingido, injetar o líquido lentamente, retirar a agulha, comprimir o local com algodão seco, descartar a seringa com a agulha em recipiente com símbolo de resíduo biológico com a inscrição perfurocortante (BD Descartex) e o algodão e as luvas no recipiente com símbolo e inscrição de resíduo biológico. Entregar ao cliente a declaração de serviço farmacêutico realizado.

6. Referências Bibliográficas:

MOTTA, A. L. C. Normas, Rotinas e Técnicas de Enfermagem. 4. ed. São Paulo: Iátria, 2006.

Clique abaixo para baixar o conteúdo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock